px facebook px twitter px youtube

mestradonuclear

O curso de Engenharia Nuclear é um curso de pós-graduação “strictu sensu”, nível mestrado, da área de conhecimento das Engenharias. Tem por objetivo formar engenheiros nucleares, para atender às necessidades do Exército Brasileiro e do País, com sólida base teórico-prática e formação profissional polivalente, capacitados para atuar crítica e criativamente na área nuclear, capacitando-os para a alta competitividade do mercado de trabalho, conscientizando-os para a importância da educação continuada, do senso crítico, da ética e da responsabilidade social.

 

O curso pretende que, com as vivências e com os conhecimentos adquiridos, ao final do mesmo, os alunos estejam aptos a aplicar, na área da Engenharia Nuclear, conhecimentos tecnológicos e científicos na identificação, formulação, proposição e resolução de problemas; elaborar, executar e administrar projetos e sistemas; integrar e atuar em equipes multidisciplinares; executar pesquisas tecnológicas e científicas com vistas à evolução dos conhecimentos e ao desenvolvimento de novas tecnologias; e desenvolver visão prospectiva, principalmente para antecipação de tecnologias de futuro.

 

O curso de Mestrado em Engenharia Nuclear é realizado em dois anos, em regime de tempo integral, presencial, sendo o primeiro ano dedicado à obtenção de créditos e o segundo à pesquisa e elaboração da dissertação.

 

Os candidatos serão selecionados com base em seu curriculum vitae, plano de trabalho e entrevista individual.

 

O aluno matriculado no curso de mestrado deverá realizar o Exame de Línguas o qual é constituído de uma prova de língua portuguesa e de língua inglesa.

 

REQUISITOS PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE MESTRADO

 

- Obter 27 créditos em um programa de estudos que deverá necessariamente incluir as seguintes disciplinas:

    - Introdução à Engenharia Nuclear
    - Física Atômica e Nuclear
    - Métodos de Matemática Avançada
    - Higiene das Radiações
    - Detecção e Instrumentação Nuclear
    - Laboratório Nuclear I

 

Na linha de pesquisa Reatores Nucleares, são ainda obrigatórias as disciplinas Teoria do Reator I e Laboratório Nuclear II. Já na linha Controle Ambiental é ainda obrigatória a disciplina Proteção Radiológica I;


- Receber menção satisfatória na sua proposta de dissertação, apresentada por escrito e defendida em exame oral. A proposta de dissertação deverá ser apresentada pelo candidato até o final do terceiro período letivo;


- O aluno matriculado no curso de mestrado deverá realizar o Exame de Línguas e ser aprovado. O exame é constituído de uma prova de língua portuguesa e de uma prova de língua inglesa;

 

- Ter obtido CR final igual ou superior a 3,0 (três);


- Finalizar o curso no período máximo de 24 (vinte e quatro) meses, excepcionalmente prorrogável por mais 6 (seis) meses para os alunos civis; e Receber menção satisfatória para sua dissertação, apresentada por escrito à Banca Examinadora e defendida em exame oral.

 

HISTÓRIA

 

A primeira pós-graduação em Engenharia Nuclear do Brasil, com o nome de curso de Especialização em Engenharia Nuclear, foi criada no IME, em 1958, para suprir a demanda por profissionais especializados que se anunciava no mercado de trabalho, em progressiva expansão. após a criação da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), em 1956, responsável por promover o ingresso do País na área do conhecimento da energia nuclear.

 

O curso de Especialização em Engenharia Nuclear era oferecido em período integral, com duração de 1 ano, ao final do qual o aluno defendia uma monografia para obtenção do título. Pretendia-se, assim, formar engenheiros capacitados a absorver e desenvolver a nova tecnologia, a fim de suprir as necessidades existentes e futuras de profissionais especializados, identificadas na época. Vários especialistas, formados neste Instituto, desempenharam atividades no sistema universitário, nas instituições de pesquisa, em órgãos regulatórios e normativos e no setor industrial do País.

 

Após alguns anos de funcionamento foram introduzidas mudanças na estrutura inicial do curso, que aliado a busca contínua pela atualização curricular, a preocupação em atender, não só as novas diretrizes curriculares, como também as demandas de mercado, levaram, em 1969, a transformar o antigo curso de Especialização no atual curso de Mestrado em Engenharia Nuclear do IME.
Hoje, duas linhas de pesquisa, Controle Ambiental e Reatores Nucleares, formam o embrião de desenvolvimento das atividades de pesquisas que suportam os trabalhos de formação em Engenharia Nuclear. Estas linhas de pesquisa incorporam medidas das radiações ionizantes e não-ionizantes, bem como instalações onde são processados materiais contendo radionuclídeos naturais ou artificiais, compatibilizando-se com os interesses nacionais.

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

- Instalações Nucleares

 

LINHAS DE PESQUISA

- Reatores Nucleares

Estudo do núcleo do reator, transferência de calor em reatores, materiais e blindagem de reatores. As atividades de ensino e pesquisa em reatores nucleares estão principalmente vinculadas à Física de Reatores, Engenharia de Reatores e à Física Nuclear Aplicada. Estende-se também, para a geração de energia a partir de outras fontes naturais.

 

- Controle Ambiental

Estudo de técnicas e métodos das radiações provenientes de fontes naturais e artificiais e de suas aplicações. Estudo e desenvolvimento de métodos e técnicas de determinação de indicadores de condições pré-existentes e impacto ambiental devido a modificações antropomórficas causadas pelos meios de produção. Avaliações de tendências.

 

transparenciapublica px logoexercito px logo_frf px revistaime px logo_capes

© 2012 Instituto Militar de Engenharia - IME
Criação e Desenvolvimento: Agência 2A • Comunicação