px facebook px twitter px youtube

graduacaocartografica

As missões do Curso de Engenharia Cartográfica, associadas às do Instituto, estão relacionadas com a formação, especialização e aperfeiçoamento de recursos humanos em nível superior na área de Engenharia Cartográfica, para atender às necessidades da engenharia militar e cooperar, pelo ensino e pela pesquisa, para o progresso do Exército Brasileiro e do país, participando do esforço nacional de desenvolvimento de pessoas, projetos e pesquisas.

 

A profissão de Engenheiro Cartógrafo tem como objetivos:
- projetar, dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar a execução de redes geodésicas horizontais e verticais de qualquer ordem, seja por observação direta no terreno, seja por equipamento aerotransportado, ou pelo rastreamento de satélites artificiais geodésicos;
- redes gravimétricas, com vistas à determinação do campo gravitacional externo e à forma e dimensões da Terra;
- coleta de dados de qualquer natureza e para várias finalidades por sensoriamento remoto, a partir de plataformas aéreas (aeronaves) ou espaciais (satélites artificiais);
- seleção, hierarquização, processamento e mapeamento de dados coletados de forma a compor um conjunto de informações de escopo técnico-científico definido, para utilização posterior por outros especialistas;
- construção de cartas topográficas de qualquer espécie: gerais, temáticas e especiais;
- cadastro urbano e rural, Astronomia de Posição, avaliação e perícias, inventários florestais e levantamentos fotogramétricos aéreos e terrestres;
- interpretação de imagens e sensoriamento;
- cartografia automatizada e sistemas de informações geográficas.

 

O Engenheiro Cartógrafo para estar habilitado a se desenvolver satisfatoriamente na sua carreira profissional, deve ter sólida formação em matemática e física. Deve ser capaz de trabalhar com equipamentos diversos, com pessoas, com variedades de projetos ao mesmo tempo através de um bom conhecimento de cartografia e relações humanas. Deve saber se apresentar muito bem de forma escrita e verbal, visando colocar-se em função de liderança destacada no ambiente produtivo.

 

Além disso, a intimidade com o uso de computadores é um requisito indispensável para o Engenheiro Cartógrafo, pois com a crescente automação dos parques produtivos nacional, tanto na comunidade civil como no âmbito do Exército Brasileiro, faz-se necessário que o egresso do IME tenha condições e iniciativa no intuito de se aprimorar como usuário de aplicativos e, possivelmente, como desenvolvedor dos mesmos.

 

HISTÓRICO

 

A primeira escola de formação de Engenheiros Geógrafos Militares foi a Academia Real Militar, criada por Carta Régia do Príncipe Regente Dom João VI, de 04 de dezembro de 1810. Ela originou-se da transformação da Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, criada por Dona Maria I, em 17 de dezembro de 1792. Pelo Regulamento da Academia Real Militar, em 8 (oito) anos os alunos deveriam realizar "um curso regular de Ciências Exatas e de Observações, assim como de todos aqueles que são aplicações das mesmas aos estudos militares e práticos que formam hábeis Oficiais de Artilharia, Engenharia e ainda Oficiais da classe de Engenheiros Geógrafos e Topógrafos, que possam também ter o útil emprego de dirigir objetos administrativos de minas, de caminhos, portos, canais, pontes e calçadas".

 

Durante o Império, a Academia Real Militar foi atingida por diversas reformas do ensino militar e de engenharia, tornando-se o embrião de escolas, algumas das quais perduram até hoje.

 

Com a proclamação da República, logo nos primeiros meses foram criadas a Escola Superior de Guerra e a Escola Astronômica e de Engenharia Geográfica, em 1890.

 

Em 1898, foi criada a Escola Militar do Brasil, onde foram reunidos os Cursos de Estado-Maior, Engenharia, Artilharia e de Geógrafos.

 

Em 1905, o Decreto no 1.348, de 12 de julho, dá nova organização ao ensino militar, criando a Escola de Artilharia e Engenharia, onde eram realizados os Cursos de Engenharia e Armamento, e a Escola de Estado-Maior, onde eram realizados os Cursos de Estado-Maior e de Geógrafos.

 

Em 1914, o Decreto no 10.832, de 28 de março, faz nova reforma no ensino militar, mantendo a formação de Engenheiros Geógrafos na Escola de Estado-Maior.

 

Em 1930, o Decreto no 19.299, de 05 de junho, cria o Instituto Geográfico Militar, com sede na Fortaleza da Conceição (Rio de Janeiro/RJ) e subordinado ao Serviço Geográfico Militar, tendo, em 1931, formado sua primeira turma de Engenheiros Geógrafos, constituída de 14 Oficiais do Exército e 1 Oficial da Marinha.

 

Em 1940, o Instituto Geográfico Militar passou a chamar-se Escola de Geógrafos do Exército.

 

Em 1941, o Decreto-Lei no 3.055, de 14 de fevereiro, extingue a Escola de Geógrafos do Exército, incorporando-a à Escola Técnica do Exército (Praia Vermelha), com a designação de Curso de Geodésia e Topografia, passando, assim, a formação dos Engenheiros Geógrafos a ser feita em conjunto com as demais especialidades de Engenharia.

 

Em 1960, a Escola Técnica do Exército funde-se com o Instituto Militar de Tecnologia, e passa a chamar-se Instituto Militar de Engenharia, mantendo-se o Curso de Geodésia e Topografia com a mesma designação.

 

Em 1980, o Curso de Geodésia e Topografia passa a ser denominado de Curso de Engenharia Cartográfica, conforme publicado no BI no 06, de 22 de agosto de 1980, do Centro Tecnológico do Exército, e transcrito no BI no 162, de 02 de setembro de 1980, do Instituto Militar de Engenharia. Assim permanece até hoje, formando Engenheiros Cartógrafos capacitados ao exercício das atividades desenvolvidas pela Diretoria de Serviço Geográfico do Exército.

 

Em 2005, o Curso de Engenharia Cartográfica iniciou seu processo de reestruturação, inserido no contexto mais amplo do Instituto Militar de Engenharia, seguindo a Diretriz para a Reestruturação do Sistema de Ensino Militar Científico-Tecnológico, aprovada pela Portaria no 009, do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT), de 12 de julho de 2005. Em 2006, a Portaria no 030/DCT, de 02 de maio, aprovou o Plano Geral de Implantação e Implementação da Reestruturação dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação do IME. A reestruturação do Curso de Graduação em Engenharia Cartográfica teve, como resultado mais recente, a reforma curricular, com a atualização das disciplinas a partir de 2007.

 

CONTATOS

Chefia da Seção de Ensino de Engenharia Cartográfica

 

Chefe: TC Hélio Cardoso Câmara Canto

Telefone: (21) 2546-7060 / Fax: (21) 2546-7069 / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Secretária: Moema de Souza Oliveira

Telefone: (21) 2546-7062 / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Coordenação de Graduação da Seção de Ensino de Engenharia Cartográfica

 

Coordenador de Graduação: Maj Wagner Barreto da Silva

Telefone: (21) 2546-7065 / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Auxiliar: 1º Sgt Marcelo Batista de Aguiar
Telefone: (21) 2546-7061 /  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Secretaria

 
Auxiliar: STen Marco Aurélio da Silva Amorim
Telefone: (21) 2546-7064 / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


 

transparenciapublica px logoexercito px logo_frf px revistaime px logo_capes

© 2012 Instituto Militar de Engenharia - IME
Criação e Desenvolvimento: Agência 2A • Comunicação